Será que eu vou, saber quem sou?

fevereiro 04, 2017

Agora nas férias, fui ao cinema com minha família e não perdi a oportunidade de assistir "Moana: Um Mar de Aventuras". O filme é lindo, e a Disney arrasou na criatividade e na produção, sem contar na trilha sonora contagiante que chega a acelerar o coração.

Superficialmente, a história já é belíssima, mas, olhando com profundidade, ela transmite mensagens essenciais para a vida, e é por isso, que eu não poderia deixar de trazer esta trama para a tag Indicações do blog.

Não é minha intenção e nem vou fazer resenha do filme, contudo, para contextualizar os que não conhecem a história, vou citar alguns traços importantes da mesma, para que possamos equiparar cenas da animação com a realidade, objetivando, claro, a reflexão.

O filme se passa numa ilha povoada por uma tribo, onde Moana, a personagem principal, filha do chefe da aldeia, recebe de seu pai a missão de cuidar do seu povo. No decorrer da história vamos ver que Moana sente uma atração inexplicável pelo mar, por navegar, uma paixão que, pela lógica, pela impossibilidade de se afastar do seu povo, ela jamais poderia se render.

Ao longo do filme, vamos reparando também, que apesar de dizerem a ela qual o seu lugar, ela sente em seu coração uma inquietação muito grande, uma sensação de estar no lugar errado, e não convencida em viver naquela aldeia e em apenas executar uma missão imposta pela tradição, começa a se questionar quem ela é de verdade e qual a sua real missão no mundo.

À partir deste ponto, vemos claramente o conflito interior vivido pela personagem: Ser quem as pessoas querem que ela seja ou buscar a veracidade de quem ela deve ser? Ouvir a voz da razão ou ouvir a voz do coração? 
Cansada de negar o seu chamado sobrenatural ao mar, Moana decidi, então, corajosamente, abandonar tudo e se lançar, na esperança de se descobrir. 

E aqui começa a nossa reflexão. 

Reflexão sobre "Moana: Um mar de aventuras".


O ser humano, naturalmente, carrega dentro de si, uma sede por encontrar algo que o faça feliz plenamente. Alguns atribuem ao que é passageiro, o sentido de suas vidas. Depositam todas as energias no alcance de metas meramente efêmeras, temporárias, e depois de atingí-las voltam à estaca zero. Os conflitos interiores são diversos, uns chegam ao suicídio, pelo complexo motivo de não encontrar uma razão consistente para viver, por não encontrarem resposta para esta complicada pergunta: "Por que existo?". Enquanto o homem não descobre a sua razão de existir, ele não consegue ser feliz, vive como um peixe fora d'água, deslocado, confuso, desencontrado, sempre com aquela sensação de que está faltando alguma coisa. 

E você, caro leitor? Já se perguntou quem você é? O que faz neste mundo?
Acredito que já tenha se questionado, mas encontrou resposta para estas questões?
Caso não tenha chegado a nenhuma resposta, vou dar uma dica: Só é possível descobrir quem você é, quando descobrir qual o sentido da sua vida. E o sentido da mesma, está no desempenhar de uma missão.

De certo, assim como Moana, todos nós temos uma missão, uma razão de ser, um chamado para estar aqui. E vou ser ousada em dizer: Não existe ser humano sem missão, existe ser humano que não a encontrou.
Uma voz ecoa dentro de todos nós, tal qual como em Moana, tentando nos guiar a um plano superior, um plano que vai além das nossas expectativas. É uma voz que nos trás inquietação, e às vezes tristeza e angústia, que apesar de doloridos e incômodos, são sinais que o nosso coração nos dá, para avisar que ainda não somos quem nascemos para ser. 

O filme vai ilustrar bem, que ouvir essa voz, implica numa série de desapegos, numa série de rompimentos. Não há espaço para o novo onde habita o velho, e isso torna o trajeto ainda mais difícil, pois a novidade assusta, atrapalhando no processo de saída do comodismo. E é por isso que muitos não chegam ao final, ou param no meio deste caminho. Falta a coragem de se lançar ao novo e a constância para sustentar a decisão de se aventurar. Quantas vezes desistimos dos nossos planos por medo, por falta de coragem? Ou quantas vezes começamos animados, decididos, mas logo na primeira dificuldade paramos tudo? Ou pior, quantas vezes estamos insatisfeitos em ser quem as pessoas querem que sejamos, e não fazemos absolutamente nada para mudar isso, e só reclamamos?

A canção principal do filme, traz a aflição central de Moana: "Será que eu vou, saber quem sou?". E foi essa inquietação que a fez largar sua vida cômoda, sua família, sua aldeia. Foi essa angústia que a fez romper com a sua tradição e com a sua cultura para embarcar num percurso totalmente inédito. Neste caminho ela sofreu, caiu e levantou inúmeras vezes, pensou sim em desistir, mas se manteve firme diante da sua escolha, e ao final, respondendo ao seu chamado, encontrou a resposta para todos os seus questionamentos, concluindo sua jornada, feliz e realizada. Não tem segredo para chegar ao nosso "eu ideal", é simples, mas requer um esforço interior muito grande, e a verdade é que nem todos estão dispostos a enfrentar as batalhas deste inusitado trajeto.

"Moana: Um mar de aventuras" é rico em lições. Certamente, poderia escrever vários e vários textos com abordagens diferenciadas do filme, entretanto, acredito que a mensagem passada segue a linha de raciocínio do blog, que é conduzir e apascentar o leitor à paz interior, que está diretamente ligada à montagem do nosso "quebra-cabeça" da alma. Tal montagem vai depender da sua disposição, dedicação e concentração no olhar para dentro de si. Autoconhecimento é tudo! Só se chega a algum lugar quem conhece suas forças e fraquezas, e elabora estratégias para vencer suas próprias barreiras.

_____________________________________________________________
Créditos de texto e imagem à Juliana Wulpi, autora deste blog. Lembre-se, plágio é crime.

Gostou? Quer opinar? Deixe seu comentário!  

Leia também

36 comentários

  1. Oi Ju! Que texto incrivel!
    Estou nesse momento (apos esse 2016 desfavoravel) passando por um momento de transição, enfrentando minhas mazelas e tentando me re-descobrir. Sei que fui me perdendo pelo caminho diante das adversidades da vida, mas conheço meu objetivo, minha meta e estou disposta a persegui-la mais firmemente neste ano.

    Adorei (muiiiiito) o post!

    Beijos, Nathy - ocaosfeminino.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Nathy que está trilhando um novo caminho! Todos nós merecemos ser felizes, e dentro disso, faz parte saber quem somos :D

      Excluir
  2. Oi Juliana, primeiro tenho que falar que você escreve super bem! Gostei muito do seu texto e confesso que o final de 2016 pra mim foi péssimo e estou me recuperando aos poucos do que me aconteceu no fim do ano. Você falando do filme desse jeito fiquei até com vontade de vê-lo sabe?! E olha que eu achei que fosse um filme sem graça. Vou tentar vê-lo final de semana, acho que vai ser bom pra mim! :)
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assiiiiisteee! O filme é inspirador. Saí do cinema nas nuvens. Vai te ajudar muito <3

      Excluir
  3. Olá!
    Eu não consigo encontrar palavras para expressar a gratidão que senti ao ler esse post tão cheio de amor. Assim como você, eu assisti Moana e fiquei me questionando das mesmas coisas. Achei incrível a forma como você interpretou o filme e fiquei feliz de ver compartilhando isso aqui com os seus leitores. Aquele filme é uma lição para a vida e todos deveriam assistir.

    Beijos,
    Vitória Abdalla
    Escritora por um Acaso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiim Vi. Esse filme é maravilhoso. Obrigada por tantos elogios, escrevo com amor para os meus leitores <3

      Excluir
  4. Bom 2016 não foi NADA agradável, tragédias em cima de tragédias, e em minha vida não foi diferente! O texto tá tão amorzinho que me motivou a ir na igreja, ajudar o proximo, ainda mais, sério, que amor esse texto, e estou motivada a ajudar o próximo e me ajudar também! Como é bom você ficar feliz com si mesma! Parabéns MEESMO pelo post! Estou encantada e me motivou muito ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ouwwwn Gaby, como fico feliz em ler isso! Quer dizer que estou no caminho certo,e que meus propósitos estão sendo alcançados. Vá mesmo à Igreja, e faça tudo novo agora em 2017.

      Excluir
  5. Bela reflexão! Esse filme realmente leva a pensar... Graças a Deus eu já saí dessa parte de tantos e tantos questionamentos que a gente costuma fazer a si mesmo. Embora eles não tenham sumido (a ansiedade sempre os traz de volta se deixar), sei que Deus nos coloca nesse mundo com um propósito e cabe a nós acharmos o caminho certo a trilhar :)

    bjs

    Inajara

    www.vintageandgeek.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os questionamentos nunca acabam né? O importante é a gente sempre estar a caminho do nosso propósito. Isso nos faz feliz, nos preenche!

      Excluir
  6. Acheiais um chará, e com um blog lindo, iga que texto maravilhoso é esse, super me indentifiquei com ele, pois tô nesse momento dá vida tentando me descobrir de novo, passando por TRANSIÇÃO, e revendo minhas metas pra vida, fiquei apaixonada pelo seu blog, e com toda certeza ganhou mais uma seguidora fiel. Beijos Juliana Souza 😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei chará kk fico feliz que tenha se identificado, e espero de coração que ele tenha te ajudado de alguma forma a viver melhor essa transição!

      Excluir
  7. Olá!
    Eu gosto muito de animações pois elas, de um jeito sutil, nos fazem refletir sobre nossas atitudes e o qie estamos fazendo. Depois de um 2016 bem conturbado, seu texto veio em boa hora e eu vou refletir sobre minha missão, que eu ainda não descobri.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Juki, reflita mesmo sobre isso! Saber a nossa missão faz toda diferença:D

      Excluir
  8. Ainda não assisti a animação por falta de tempo, mas quero muito assistir porque amo essas lições de vidas. Já me perguntei inúmeras vezes "o que estou fazendo aqui?" e o vazio de não ter um resposta concreta é perturbador. " quantas vezes estamos insatisfeitos em ser quem as pessoas querem que sejamos'" passo por isso há um bom tempo mas me resta medos e insegurança para mudar isso. Agora se que preciso ver esse filme urgente, quem sabe não me ajuda!
    Belas reflexões, belo post <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcela! Assista mesmo, o filme é muito bom para abrir a nossa mente. E estou aqui torcendo para que você encontre o seu caminho <3

      Excluir
  9. Confesso que vejo poucos filmes, mas tenho que me atualizar, esses filmes trazem um certo pensamento super importante para nossa vida. Questionamentos que nos cercam durante toda a vida, e que eu pelo menos não tenho resposta... Parabéns pelo post e escolha do assunto, super importante e reflexivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Leticia, procura ver o filme que vale a pena. Nem tudo tem resposta, realmente, mas muitas coisas tem um certo direcionamento. E assim, a gente vai seguindo nesse mistério que é a vida!

      Excluir
  10. Nossa, amei ler esse post!
    Você passou tanto entusiasmo, motivação nele.
    Não assisti ao filme ainda, ele já está disponível na internet? Adoro filmes da Disney, ainda mais quando tem um sentido reflexivo!
    Quem nunca se perguntou "Qual é a minha missão?" "O que eu vou ser ou fazer da vida?" Eu já me perguntei isso muitas vezes, mas depois de passar por uma fase ruim da minha vida, me encontrei e hoje eu sei qual é a minha missão, o que devo fazer!
    Espero que muitas pessoas vejam esse post. ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele ainda está no cinema, não vi se tem na internet, mas deve ter sim, brasileiro sempre arruma um jeito kkk
      E fico muito feliz que já tenha se encontrado na vida, isso é muito importante, pois está diretamente ligado a nossa felicidade <3

      Excluir
  11. Olá Ju!

    Primeiro quero lhe parabenizar por escrever tão bem, você soube trazer a toda um assunto um tanto perturbador de uma maneira leve, por perturbador quero dizer que geralmente ficamos aflitos pensando em quem somos, se realmente existe uma missão, um motivo para cada coisa e se algum dia seremos plenamente felizes. Eu acredito que a felicidade está na jornada, eu sou uma pessoa diferente a cada ciclo, descubro algo sobre mim, realizo um sonho e já estou eu me reinventando, procurando um novo plano, um novo sonho, acho que missão única não existe, a vida é feita de pequenas e grandes missões que só chegam ao fim quando nós chegamos no fim.

    Beijos e MUITO Sucesso!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thayza! Muito boa a sua reflexão a cerca desse assunto. Acredito também que a missão ela tem várias partes e só acaba ao fim da vida. Há sempre um novo desafio a ser vencido, e a cada vitória, mais felizes e realizados somos.

      Beijos, e obrigada pela visita!

      Excluir
  12. Oi Ju! Que post incrível! Eu estou passando por esse momento, essa autodescoberta, busca eterna pelo autoconhecimento, saiba que suas palavras me tocaram mais profundamente possível. Sua forma de ver o filme me abriu uma intensa vontade de ver também, juro! Você é brilhante!
    Mas por favor, me dê uma dica: eu também amo escrever e também tenho um blog, mas tenho receio de divulgar e as pessoas me julgarem. O que posso fazer em relação a isso? Super beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabi, primeiramente, obrigada por tantos elogios, meu coração muito se alegra. E respondendo a sua pergunta, eu preciso dizer que a minha inspiração vem da minha oração pessoal com Deus. Ele quem conduz tudo, e ao fim, tenho certeza que é o que precisa ser publicado, independente do tema, pois não vem de mim, e o mérito não pode ser meu.
      E sabendo que é o que precisa ser publicado, eu não tenho medo. No seu caso, eu sugiro que busque essa inspiração superior para se sentir segura em relação ao seu conteúdo. E quando começar a produzir, mostre a alguém próximo, peça pra que leia com você e ajude a opinar. Aos poucos você mesma estará convencida que o seu conteúdo merece ser divulgado e ser visto por mais pessoas, pois fará diferença na vida delas.
      Grande beijo e sucesso! Você pode <3

      Excluir
  13. Que texto incrível.Eu ainda não tive oportunidade de assistir Moana (mas tenho que providenciar isso logo) porém é um filme na qual estou louca para assistir. Li muito a respeito do filme, mas ao ler sua visão e o que tirou de bom do filme me deu mais vontade de assisti-lo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei linda, fico feliz que o texto tenha te inspirado a assistir o filme. Se tiver oportunidade, assista! Vai valer a pena.

      Excluir
  14. Adorei a comparação, como já disse mil vezes você sempre me surpreende com suas palavras! Ainda não ví o filme mas entendi claramente suas referências. Acredito que todos devem ser encontrar, para saber o seu sentido aqui. Adorei a frase " não há espaço para o novo onde habita o velho" preciso ler pra vida rs. Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada lindona! Leve mesmo essa frase para a vida <3

      Excluir
  15. Julia, flor, que reflexão mais rica em paz! Tenho pensado muito sobre este assunto e isso porque eu tenho passado por este tipo de situação..agradeço super por ter escrito este texto e estou muito maravilhada de onde as pessoas podem tirar lições assim, como nesta animação. Espero poder encontrar a minha missão.E mas uma vez, encantada também com o objetivo do blog e reflexão! Paz e flores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nathalia, uma flor você! Imensamente feliz por transmitir um pouco de paz através deste texto.
      Você irá sim encontra sua missão, já está no caminho.

      Um beijo e volte! Será sempre bem vinda aqui <3

      Excluir
  16. Eu tô doida pra assistir moana, mas ainda não tive oportunidade. Tenho visto muitas resenhas positivas sobre o filme por aí, e em todas o pessoal faz questão de enfatizar o fato da reflexão que o filme provoca. Adorei saber um pouco mais do que vc achou e de como trouxe isso pra tua vida. Sucesso, ju. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Thais, acredita que ainda não li resenhas do filme por aqui? Que bom que as pessoas se atentaram para as lições que o filme nos trás.

      Excluir
  17. Fiquei ainda mais curiosa em ver esse filme depois do seu post, pelo jeito eu e a moana temos algo em comum rs Eu tenho 19 anos e como todo jovem nessa idade sofre muito com a pressão da sociedade e dos pais, para fazer faculdade de direito, medicina ou quem sabe engenharia e quando você escolhe outra coisa nada convencional você tem que está disposto a seguir o seu caminho e não liga para que os outros dizem. Eu quero fazer faculdade de moda, eu sei que nasci para isso mas infelizmente para muitas pessoas isso não vai dar em nada, mas quando você tem um sonho é uma vocação para algo, você deve se desafiar e ir em busca do seu sonho, trilhando seu próprio caminho, assim como estou fazendo. Beijos ❤❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você sente no seu coração que é isso Nai, abraça a sua vocação. O mundo tem maus profissionais porque ninguém mais faz por amor, por dom, e sim, por dinheiro e fama, infelizmente.
      Estou torcendo por você, r que seja muito feliz trilhando esse caminho!

      Excluir
  18. Oi, primeiramente parabéns pelo blog,e pelo post. Você escreve divinamente bem e conseguiu despertar em mim a vontade de ver o filme haha. Essas questões sempre surgem ao longo da nossa caminhada, e encontrar respostas pra elas fazem nosso caminho mais valioso pois nos ensina muito mais. Que cada um encontre seu caminho,sua paz e sua conexão nessa missão <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assiste mesmo Amanda, você vai amar!
      Obrigada pelo carinho e volte sempre <3

      Excluir

Curta a fanpage

Seguidores